Psicologia nas Emergências: uma Nova Prática a Ser Discutida

Desastres e emergências são eventos desencadeadores de estresse pela exposição a um perigo imediato à integridade física e emocional das pessoas envolvidas, requerendo assim ações imediatas. A Psicologia foi convidada a compor a resposta a tais contextos, devendo, portanto apropriar-se dos pilares que norteiam as intervenções em emergências, delimitando os objetivos e o conhecimento necessário para tal. O objetivo desta revisão da literatura foi identificar os pressupostos epistemológicos desta prática inovadora a partir da busca em artigos científicos, capítulos de livros e resumos de eventos científicos. Apresenta-se um breve histórico sobre o tema e o panorama atual na America Latina e no Brasil. Discute-se os propósitos da Teoria da Crise, Intervenção em Crise, aliado às ideias postuladas pela Psicologia Positiva. As intervenções calcadas nestes alicerces partem da suposição de que pessoas possuem habilidades para superação de forma positiva dos efeitos da crise, e seu foco é na prevenção do crescimento positivo e da deterioração psicológica, que será facilitada pelo apoio social provido por instituições que potencializem a capacidade autoeficiente dos sobreviventes. A intervenção mais amplamente proposta são os primeiros auxílios emocionais (PAE). A atenção a pessoas que experimentam fatos favoráveis a incapacitações físicas e psicológicas se tornará mais comum, considerando a realidade contemporânea, e a Psicologia deve prover assistência visando fortalecer habilidades de enfrentamento em situações críticas. 2015, 15 páginas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.