Crianças e Jovens Refugiados em Portugal. Percursos de Integração

O presente relatório resulta de um estágio de oito meses no âmbito da animação intercultural realizado na ONGD Conselho Português para os Refugiados. Através desta localização, privilegiada no terreno, foi possível conduzir a pesquisa etnográfica Crianças e Jovens Refugiados em Portugal – Percursos de Integração. Ao assumir integração como um conceito dinâmico e bilateral pretendo aproximar a relação entre os direitos das crianças e jovens em Portugal e as suas reais vivências, revelando as suas experiências efetivas no contexto social português como cidadãos ao abrigo de um programa de proteção internacional. A presente pesquisa etnográfica sugere que apesar de Portugal aparecer frequentemente nos discursos dos jovens e das crianças como um local agradável, com bom ambiente social e boas oportunidades de formação a presente conjuntura económica, considerada de crise, e as relações com as instituições que gerem jurídica, económica e socialmente a sua permanência em Portugal, são os fatores que maior angústia e dificuldades de integração efetiva provocam. Posicionando-se no enquadramento teórico da Antropologia Militante a presente pesquisa etnográfica visa aproximar algumas conclusões no âmbito da Antropologia da Infância e da Juventude trazendo para primeiro plano, como agentes privilegiados, as crianças e os jovens, normalmente silenciados nos discursos etnográficos. 2012, 120 páginas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.