Alteridade, racismo e representações sociais: o caso do ebola no Brasil

O presente trabalho objetivou estudar a construção social do ebola na mídia impressa brasileira à luz da Teoria das Representações Sociais, articulando conceitos de alteridade, do risco, problema social, mídia e racismo. Trata-se de uma pesquisa qualitativa feita por intermédio da análise do conteúdo clássica e do tratamento automático com ajuda do IRAMUTEQ. Foram feitos dois estudos, uma na revista Veja (5 matérias publicadas no último surto) e outro no jornal Folha de São Paulo (291 matérias publicadas desde 1976 até março de 2015).  2015, 129 páginas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.