A teoria institucionalista e o uso de crianças soldado em conflitos armados contemporâneos: a República da Colômbia

A partir de meados dos anos 1980 e, mais intensamente, do final da Guerra Fria, observou-se crescente mudança no paradigma das Relações Internacionais e na forma como os conflitos passaram a ser travados, considerados então, por Kaldor (1999) como novas guerras. As hostilidades proliferadas a partir do período têm como uma de suas características a utilização de crianças em confrontos, as denominadas crianças soldado. O objetivo dessa monografia é refletir a respeito do fenômeno das crianças soldado, com base na teoria institucionalista de Keohane (1984), para verificar a efetividade da instituição internacional construída no combate ao uso de crianças nas hostilidades. Como estudo de caso, para comprovar ou não a efetividade de instituições internacionais, aplica-se o caso da República da Colômbia, país da América do Sul, fronteiriço com o Brasil, e que possui no seu conflito armado o recrutamento de menores de idade como uma peculiaridade comum. 2016, 110 páginas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.